23 de set de 2011

"As coisas desejam ser olhadas de azul"

A manhã desabrochou em gotas de pássaros desajustados
Na madrugada haviam diferentes cantos para diferentes horas
Urutaus e melodias não classificadas, uma e depois outra, compondo o caminhar dos ponteiros noturnos
A siriema contemplou a deixa da primeira luz, e os sabiá laranjeira deu o toque de acolher do novo dia
Nada foi razoável

Nenhum comentário: