24 de fev de 2011

Cartas áridas de mar

Uma flor para cada dia, uma, outra e mais uma
Margaridas coloridas, no mar azul sulfite
Se rosas fossem, dor apreenderiam
A delicadeza aprenderá nas cores
Cores de quem ama, e chora por seu ofício

Nenhum comentário: