22 de set de 2011

Mel

Qual será a cor do espaço entre o silêncio e o próximo dizer?
Qual será o jeito do olhar que nesse espaço fotografa e sente-se desnudo, fotografado?
Quais serão os caminhos percorridos nos instantes relutados, desviados?
Qual será o gosto dessas marcas, desses arredios olhos açucarados?
Qual será a mágica a permear o fino traço que separa as linhas dessa história?
Qual será o jeito do não saber, ou não querer portar-se?
Quais serão os tempos do querer-se ir e do intensamente precisar ficar?
Qual será a cor do seu e do meu olhar?

Nenhum comentário: